Casos de Hanseníase aumentam e já ultrapassam número registrado em 2017, em Eunápolis.

Redação - 20/10/2018 - 09:51


O número de pessoas infectadas por hanseníase, doença conhecida como lepra, até setembro deste ano, na cidade de Eunápolis, no extremo sul da Bahia, já superou o total de diagnosticados em 2017.

Segundo a Secretaria de Saúde do Município, 40 pessoas foram diagnosticadas com a doença no ano passado e 49 já foram detectadas até setembro deste ano.

De acordo com o órgão, a doença contagiosa é transmitida através de gotículas de tosse e espirro de pessoas que já estejam infectadas. As pessoas que mantêm contato próximo com o infectado também devem fazer o tratamento de prevenção.

A doença é detectada através de um teste de sensibildade feito com um algodão molhado com álcool. A intenção é descobrir se o paciente consegue sentir o objeto.

O tratamento da hanseníase é gratuito e feito com antibióticos, que são usados por um ano. A doença deixa de ser transmissível após o final do período, mas pode deixar sequelas.

Conforme a Secretaria de Saúde, a doença atinge o sistema nervoso e pode até provocar atrofiamento dos membros e incapacidades.

Segundo o órgão, o público alvo para a campanha de combate a hanseníase são os homens com mais de 60 anos. Eles apresentam maior risco de adquirir a doença, pois apresentam baixa imunidade e demoram para procurar as intituições de saúde.

O alto número de pessoas infectadas com a  doença no município foi alvo de matéria no Jornal Nacional da rede Globo nesta sexta-feira dia 19 de outubro de 2018.

WhatsApp Giro de Notícias (73) 98160-3777
Adicione nosso número, envie-nos a sua sugestão, fotos ou vídeos.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS

Nome:

Texto:

Máximo de caracteres permitidos 500/



Em Itabela a secretaria de saúde poderia tomar uma atitude e fazer alguma campanha de detecção, muitas pessoas daqui vão em Eunápolis fazer alguma coisa, ao SAC, a receita federal, a hospitais, lojas etc. Podemos ser infectados.
Morador